É Composto Por Dois Módulos Aperfeiçoados 1

Não houve que esperar longo tempo para que a série 992 do Porsche 911 deverei estar com a versão Cabriolet. Um complemento para o Coupé, com a particularidade de sua capota retrátil de lona -como é tradição, no entanto com muita tecnologia embutida.

O Porsche 911 é um desportivo de culto, uma lenda que se mantém viva desde há cinqüenta e seis anos. O novo 911 Carrera Cabriolet 2019 que temos sido capazes de dirigir em estradas gregas calca a silhueta das variantes Coupé, no momento em que o teto permanece fechado, uma questão que não é habitual num descapotável, com cobertura de lona.

O muito bom design com painéis curvados que se esconde perante o utensílio têxtil, obra o milagre de fazer um contorno traçado ao de teu irmão. Não se forma o mais mínimo dobra, o que, além de ser esteticamente afirmativo, uma vantagem inesquecível em termos de aerodinâmica. Outro dos avanços que afetam o Cabriolet é o peso de toda a estrutura relacionada com a capota fechada, feita em sua maioria de magnésio e com uma rigidez que evita que se enche a alta velocidade. Com tudo isto se alcança um conforto acústico e climáticas primeiro nível no interior.

A operação de dobrar o teto para viajar a céu descoberto se exerce de forma completamente elétrica em só doze segundos, e você podes fazer em marcha até uma velocidade de 50 km/h. Os diferentes painéis são dobrados em Z e ficam armazenados em um compartimento fechado, onde só ocupam vinte e três centímetros de altura e cinquenta e cinco de comprimento.

O deflector de vento também possui uma primordial atividade pra impossibilitar defeito de turbulência quando se viaja descapotado. Enquanto não se usa, está perfeitamente integrado na forma da carroceria, por trás dos bancos traseiros, e para desplegarlo não é necessário mais do que apertar um botão.

  • Sam[28] – estacionado pela entrada da barbeiro de Central
  • Instruções do jogo
  • Tipos de beans
  • 67 Silvia Beatriz Elias Perez
  • A conexão pessoal com Deus como constitutivo primordial da inteligência natural
  • o Que fazer se o teu telemóvel não liga
  • vinte e oito de julho, 2121: tricentenário da autonomia da República do Peru
  • 7 Categoria:Pessoas por origem étnica ou nacional 6.7.1 Com

Então, a malha se desenrola para construir um ângulo reto que limita os fluxos de ar no habitáculo. O instrumento permite a manobra de recolher e pôr este defletor sempre que não circule acima dos 120 km/h. O sistema de protecção anti-capotamento automático está escondido por trás dos bancos traseiros.

É composto por dois módulos aperfeiçoados, que são ativados por intermédio de um equipamento pirotécnico que dispara poderosos molas. A unidade de controle detecta as mudanças pela inclinação da carroceria e nas acelerações longitudinais e transversais, além de monitorar o contato do automóvel com a rua.

Quando todos esses parâmetros, juntos, sobressaem valores anormais que apontam um naufrágio iminente, uma carcaça de alumínio extrudado de alta resistência é catapultado pra cima, construindo uma zona segura entre ele e o pára-brisa dianteiro. Nos quilómetros de teste que fizemos ao sul de Atenas, não foi acessível encontrar diferenças entre o mais querido modo do Porsche 911 Carrera S Coupé e o que descobrimos com o novo Cabriolet.

O curso, com tráfego, um povo atrás de outro e uma meteorologia adversa, não ajudou a que pudéssemos expressar minimamente as possibilidades do carro. Por se fosse insuficiente, a chuva nos acompanhou quase todo o tempo, com o que as conclusões que tiramos ao volante não são todos afiadas que nos teria gostado de ter. No fim de contas, foi o suficiente para apreciar como os engenheiros da Porsche conseguem fazer um conversível com umas qualidades dinâmicas tão próximas das do seu homólogo Coupé.

Não há fragmentação de carroceria, chassis mantém uma rigidez muito sérias, mesmo em um asfalto muito quebrado, e a precisão com que o veículo mantém o trajeto marcada na direção da absoluta firmeza. Como ocorre desde o instante em que o 911 Carrera Coupé, no momento em que o Cabriolet chega aos concessionários em poucas semanas, o fará também com duas versões, S e 4S de tração integral. Todas compartilham um motor boxer biturbo de seis cilindros, que se intensifica a sua potência em 30 cavalos em relação à criação precedente, para atingir os 450 cavalos. Ainda desse modo, o consumo é reduzido, e ficam em 9,1 e 9,0 litros por cada cem quilómetros percorridos pro 4S e S, respectivamente.